Protegendo os corais – Branqueamento

Branqueamento dos corais é um fenômeno os corais perdem seu pigmento (organela) que fazem a fotossíntese (zooxantela) e acabam perdendo grande parte de seu alimento. Porem os corais ainda não morreram, mas em geral acabam ficando frágeis, doentes e acabam morrendo. Infelizmente, o branqueamento dos corais é um fenômeno mundial que começou a ser observado em diversos recifes da costa do Brasil. Até 2019 acreditava-se que os corais do brasil fossem mais resilientes pois resistiram aos efeitos que causaram os últimos três grandes eventos de branqueamento em massa global de corais (GBA- Global Bleaching Event). Nestes três últimos branqueamentos globais somente os corais de áreas mais rasas e com alta turbidez de água foram afetados, com maior intensidade nos corais fogo (Millepora spp).  No entanto, e coincidentemente após o derramamento de petróleo e após um verão intenso, um grande branqueamento em massa ocorreu nos recifes costeiros do Nordeste do Brasil, os únicos recifes de coral do Sudoeste do Oceano Atlântico. Um branqueamento em massa que ocorreu em praticamente todos os recifes costeiros rasos da região, afetando mais de 80% dos corais em algumas estruturas recifais como as de Porto de Galinhas. Em sua maioria, novamente, o coral mais predominante nestes recifes costeiros rasos foi o mais afetado, hidro-coral fogo do gênero Millepora. Após esta constatação as técnicas de manejo econômicas propostas no projeto ReaniMar foram postas em prática e contatos foram feitos com cientistas e ambientalistas locais para montar planos de ação e financiar ações de mitigação para evitar a morte das colônias de corais branqueadas. Um programa de monitoramento das colônias de coral está sendo implantado na região e ações de proteção recuperação de várias colônias estão acontecendo nos recifes de Porto de Galinhas. A verdadeira causa do Branqueamento dos corais no Brasil ainda não foi comprovada e o projeto ReaniMar pretende ajudar a descobrir quais foram as verdadeiras razoes e ajudar no repovoamento dos corais mortos.  Gostou desta ação que estamos fazendo? Quer ajudar? “Sim, aqui você pode realmente ajudar a salvar a natureza. Seja você também um agente de reconstituição ambiental. Doe seu tempo como voluntario ou apadrinhe uma ação.  

Protecting Coral – Bleaching

Coral Bleaching is a phenomenon where the corals expel the symbiotic algae (zooxanthellae) that lives in their tissue. Those algae make the photosynthesis and feed the corals. Consequently, when corals lose those symbiotic algae, they became week and fragile, but they still are not dead. Unfortunately, the blenching events is global and associated with the anthropogenic pressures and global warming. Named as GBA (Global Bleaching Event) those events were recorded with less intensity in Brazil. Until 2019 it was believed that the corals from Brazil was resilient because a few percentages of corals were affected and only corals in shallow coastal areas and in places with high water turbidity presented some blenching events, but not massive. Coral bleaching events that affected in Brazil specially the Fire Coral from Genus Millepora. However, and coincidently, after the oil spilt event and after the warm summer (2019/2020) a real massive bleaching event was recorded in virtually all costal reefs in the northeastern coast of Brazil, the only coral reefs in the south western Atlantic Ocean. A bleaching event that affected more than 80% of the corals in some coastal bench like in the touristic reef bench of Porto de Galinhas. Again, in this massive event the Hydrocoral from Genus Millepora was the most affected, the most dominant coral in the studied sites. Under this bleaching scenario the project ReaniMar applied the management techniques, approaching the scientists and environmentalists from the region funding the management and protection actions aiming avoid a massive mortality after the massive blenching. Now, a long-term monitoring protocol is in development in the region and practical actions to avoid the algae coverage is taking place. Physical and chemical protocol for the temperature monitoring and contaminants contents is also in development because it still remains unknown the real reason for this massive blenching event. The project ReaniMar will investigate the reasons and support in restocking the corals in the region.  Did you like this action? Do you want to help?

Yes, here you can really help to save nature. Became a member and make your part in restoring coastal and marine ecosystems. Donate your time as a volunteer or sponsor a specific action. 

  • Facebook
  • YouTube